O que é talento?

Quando ouvimos ou utilizamos a palavra talento logo vem à mente algo subjetivo, mas que possui um conteúdo positivo e serve para designar o que existe de melhor em cada um de nós. O dicionário Aurélio define talento como uma aptidão natural, algo como uma inteligência excepcional.  Mas também o define como uma habilidade que pode ser adquirida.
Na antiguidade grega e romana talento era o nome dado a uma moeda de troca e medida de peso. O filósofo Anacreonte foi presenteado pelo governante da época com cinco talentos, como forma de reconhecimento por seus conselhos filosóficos. A partir desse episódio, talento tornou-se uma importante moeda de troca, que logo depois também passou a ser utilizada pelos romanos. O talento era cunhado em metal, tal  e qual qualquer outra moeda.
Segundo a Bíblia, no Evangelho de Mateus, Cristo certa vez distribuiu um pouco dessa moeda entre três dos seus discípulos, orientando-os para que fizessem bom uso delas. Dois deles usaram-na para fazer trocas e realizar negócios, e assim a multiplicaram. O terceiro, temendo perder a moeda dada por Cristo, preferiu guardá-la. Mas Cristo criticou essa atitude egoísta, pois o talento havia sido criado para ser usado para promover o bem-estar de todos e deveria ser utilizada com sabedoria.
Com o tempo a moeda talento foi sendo substituída por outras, da mesma forma que o padrão ouro da economia mundial foi trocado pelo papel moeda. Entretanto, se por um lado ela perdeu sua importância enquanto moeda de troca, de outro, o tempo se incumbiu de perpetuar seu valor intrínseco, pois seu status perdura até os dias atuais, tendo adquirido um valor simbólico cada vez  maior. Nos dias de hoje talento é sinônimo de aptidão e competência e é importante tanto para pessoas quanto para as empresas. Ambos precisam saber utilizá-lo (conforme queria Jesus Cristo) para promover riqueza e bem-estar que beneficiam a todos.
Em nossa era do conhecimento, talento passou a significar o acúmulo de aptidões naturais e adquiridas. O ser humano produtivo precisa do concurso do talento para o desempenho de suas funções e a realização de seus projetos de vida. O talento tanto pode ser inato quanto adquirido por meio do estudo e do desenvolvimento de habilidades específicas. Mas é preciso não confundir talento com vocação. Talento é uma aptidão que precisa ser despertada. Vocação, termo que vem do Latim vocatione, significa chamado à execução de competências visando o desempenho. Ser talentoso é saber usar a vocação e a habilidade com determinação, disciplina e criatividade, visando o desempenho que faz a diferença em um ambiente caracterizado pela competitividade.
Algumas pessoas tendem a ver o talento como algo ligado ao destino individual de cada ser, uma certa pré-disposição genética. O filósofo Immanuel Kant (1724-1804) acreditava tratar-se de algo inato, uma espécie de privilégio ou superioridade do poder cognoscitivo, ou faculdade de saber, uma habilidade que não provém do ensino  mas da aptidão natural do sujeito. Sabemos hoje  que Kant estava errado, pois muitas vezes o talento se deve mais à capacidade de buscar a excelência do que do uso de habilidades naturais. E o mercado está aí mesmo para comprovar isso.
Se o talento expressa o que há de melhor em cada um de nós, ao  exercitá-lo precisamos antes conhecer muito bem o que somos e como somos. Era isso o que os filósofos gregos queriam dizer quando conclamavam seus pares ao exercício do autoconhecimento (“conhece-te a ti mesmo”).
Cada ser humano é único e possui talentos para a expressão de seu potencial criativo no mundo. Entretanto, existe um talento essencial que difere de todos os outros. É aquele que é capaz de oferecer respostas às perguntas fundamentais acerca da nossa própria existência, silenciando os nossos porquês mais imediatos. É o talento que transcende o dia-a-dia dos conflitos e da luta pela sobrevivência e que abre caminhos para as nossas conexões universais. Nem sempre é possível despertar esse talento essencial em virtude da dificuldade que temos de estabelecer contato com a nossa própria essência interior. Então precisamos do auxílio de técnicas que permitam o desbloqueio dos canais sutis que nos levam às profundezas do ser. Ou seja, o autoconhecimento.
A busca pelo despertar do talento essencial não significa deixar de lado todos os outros talentos que possuímos. Muito pelo contrário, quanto mais usamos nossos talentos inatos e adquiridos, mais perto estaremos de estabelecer contato com nosso talento essencial.
A realização pessoal deve ser entendida como um conjunto de conquistas que abrangem os aspectos da vida familiar, afetiva, profissional e social, visando estabelecer as conexões que geram o bem-estar do corpo, da mente e do espírito. Para isso, precisamos despertar e usar nossos talentos de modo inteligente e criativo.
As histórias de sucesso pessoal e profissional apresentam enredos e roteiros muito parecidos, onde os protagonistas invariavelmente identificam habilidades especiais e canalizam talentos para a realização de um objetivo. Talento + dedicação + comunicação eficiente = criatividade e criação. Essa parece ser a equação que nos leva ao sucesso pessoal e profissional.

José Diney Matos é consultor especialista em gestão de negócios e gestão de pessoas. É autor do livro Bem-Estar Criativo para o Sucesso.

About these ads

Sobre jdineymatos
José Diney Matos é jornalista, escritor e conferencista. Pós-graduado em ciência e tecnologia e finanças, trabalhou como executivo em empresas de grande porte iniciando sua carreira no Unibanco e encerrando no Grupo Brascan. Há cerca de quinze anos vem atuando como consultor especialista em comportamento nas relações profissionais, gestão de carreiras e gestão de negócios. É fundador e atual presidente do IBEHI – Instituto Brasileiro de Estudos Humanísticos Integrados, entidade educativa associada à ACA – American Creativity Association, que se dedica a estudos e pesquisas sobre desenvolvimento humano, criatividade e qualidade de vida. É autor dos livros Artimanhas do Ego (2004), Bem-Estar Criativo (2006) e A Essencial Arte de Pensar (a ser publicado em 2011).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: